INÍCIO /// NACIONAL
 
 
 
 
 
Cinco jovens de movimentos diferentes deram o seu testemunho.
Artigo publicado a 2018-10-25 /// 124 visualizações
 
Jovens desafiados a "Sair da Bolha"
Cinco jovens católicos de diferentes realidades conversaram "sem filtros" sobre a Igreja e os desafios da juventude.
A Sala Folcaut, da Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa reuniu ontem cinco jovens católicos, de diferentes movimentos e desafiou-os a falar "sem filtros" sobre a Igreja e o papel da juventude na mesma.

O espaço foi pequeno para acolher os muitos interessados neste debate que foi intenso, mas ao mesmo tempo descontraído onde os jovens convidados falaram abertamente sobre as suas experiências e vivências, relatando a sua própria realidade, não só como católicos, mas também onde estão inseridos.

O CNE esteve representado pela caminheira, Ana Costa Mano, do Agrupamento 1208, de Miraflores, Região de Lisboa. Ana Mano esteve à conversa com a "Flor de Lis" onde referiu ser um privilégio estar ali a representar o maior movimento de juventude do nosso país.
"Partilhar com os outros jovens e com as outras pessoas a forma como o Escutismo foi modelando a minha vida, onde dei os primeiros passos na fé, a forma como descobri os meus talentos e os dons que Deus me concedeu, muitos deles através do Escutismo, é o testemunho que quero deixar" salientou Ana Costa Mano.

Este debate foi organizado pelo Centro Universitário dos Jesuítas em Lisboa (CUPAV) e pelo Portal dos Jesuítas em Portugal (Ponto SJ) e surge na reta final do Sínodo dos Bispos sobre os Jovens, que decorre neste momento em Roma.

Ana Costa Mano tem muitas expetativas em relação aos resultados que sairão do Sínodo que esta a decorrer "espero uma expansão do papel dos leigos mais jovens, que acima de tudo não haja medo de lhes dar o protagonismo, porque no fundo são os jovens que dão dinamismo às paróquias, espero que este Sínodo proporcione ainda o refortalecer dos laços, dos jovens com a Igreja".

No final deste debate houve ainda tempo para algumas perguntas da assistência onde ficou o repto para uma Igreja no centro da vida dos jovens.

Texto e fotografia de: Susana Micaela Santos.
 
Bookmark and Share