INÍCIO /// REGIÕES
 
 
 
 
 
Superar e aperfeiçoar provas em 24 horas foi o desafio proposto.
Artigo publicado a 2017-09-19 /// 1514 visualizações
 
Challenger 2017 - Dirigente Procura-te
Durante 24 horas os participantes do Challenger 2017 colocaram à prova todos os seus conhecimentos e capacidades no sentido de superar as provas que encontraram.
Patrulha Toupeira do Agrupamento 95, da Maia” foi a vencedora, na classe de Dirigentes/Candidato a Dirigentes Fraternidade Nun'Álvares, da 5 edição do Challenger . Na classe de Caminheiros o 1º Lugar foi para a equipa “A Vera e os Monstros”.

A 5ª edição do Challenger -Dirigente Procura-te, organizada pela Junta regional do Porto, decorreu nas serras de Santa Justa e Pias e no vale do Rio Ferreira e contou com a participação de caminheiros e dirigentes vindos de seis regiões do país, oriundos de 34 agrupamentos.

23 Equipas, 10 constituídas por dirigentes e 13 por caminheiros, num total de 91 elementos, começaram logo de manhã cedo a concentrar-se na povoação de Campo, Valongo.

O núcleo duro da Erfaal, Equipa Regional de Formação em Atividades ao Ar Livre (ERFAAL) da Junta Regional do Porto, responsável pela organização bem como pelo bom desenrolar da atividade, supervisionou todos os pormenores.

Durante 24 horas os participantes puseram à prova todos os seus conhecimentos e capacidades no sentido de superarem as provas que pela frente encontraram.

A noite cai, os primeiros sinais de cansaço começaram a ser visíveis nas equipas mas mesmo assim o entusiasmo não esmoreceu. Os participantes partilharam entre si as experiências vividas até ao momento e compararam prestações com a intenção de de-terminar e calcular se era ou não necessário alterar a estratégia de jogo.

Como pirilampos, imensos pontos de luz cortaram o escuro da noite nas serras em redor do centro de coordenação, mostrando que poucos são os que optam pelo descanso e, incansavelmente, procuram amealhar preciosos pontos que os conduziram à vitória.

Rompe a aurora, faltava pouco tempo para encerrar o Challenger, houve equipas que deram por encerrada a sua participação, outras equipas ainda procuraram angariar os últimos pontos possíveis. Todas esgotadas, mas com um sorriso de felicidade estampado no rosto!

Foi assim mais um Challenger, muito sacrifício, muita estratégia, muitas bolhas, muitos arranhões, muita adrenalina, muito pouco descanso, muito convívio, muita alegria, muita vontade de ganhar e, acima de tudo, muita vontade de voltar.

Texto e fotografia de: Manuel Joaquim.
 
Bookmark and Share